Curta Ficção #047 – Conciliando escrita e vida pessoal



Curta Ficção #047 – Conciliando escrita e vida pessoal

Ouvir

Neste episódio, Jana Bianchi Thiago Lee convidam a escritora, engenheira, esposa, mãe e faz-tudo Paola Siviero pra conversar sobre a difícil arte de conciliar escrita e vida pessoal. Quais são as possíveis estratégias pra conseguir espremer um tempinho útil da rotina corrida? Como contar com seus aliados nessa saga? E como usar suas experiências a seu favor?

Comente no feed do podcast, na página do Facebook ou pelo Twitter, no @curtaficcao. A gente quer ouvir sua opinião!

***

ATENÇÃO!

Para ouvir o episódio, clique no botão play, no botão de download no plugin abaixo, ou escute pelo perfil do Curta Ficção no Spotify.

Curta Ficção, EntreFicções e Pavio Curto no Spotify: https://open.spotify.com/show/7g006vOSEM82oK207XUX7E

Curta Ficção, EntreFicções e Pavio Curto no iTunes: https://itunes.apple.com/gh/podcast/curta-fic%C3%A7%C3%A3o/id1192004021?mt=2

Feed do Curta Ficção: http://curtaficcao.blubrry.com/feed/podcast/

***

Assine nossa newsletter

Curta nossa página no Facebook

Siga a gente no Twitter

***

LINKS COMENTADOS

CONTATOS DA PAOLA

***

CONTATOS DA JANA

CONTATOS DO LEE

CONTATOS DO RODRIGO

***

CONFIRA NOSSOS TRABALHOS

JANA

LEE

RODRIGO

***

Para dúvidas, comentários ou sugestões, escreva para: contato@curtaficcao.com.br


19 thoughts on “Curta Ficção #047 – Conciliando escrita e vida pessoal

  1. E essa organização do Curta Ficção? Adorei.

    O episódio foi ~palavrão de intensidade ~ de bom. De quebra no fim ainda teve uma aula prática de como vender um livro.
    Um caçador de demônios e um maga… “Legal”.
    Casos sobrenaturais… “Opa, tá ficando mais interessante”.
    No agreste. “Eita”.
    Nos anos 80…. “Embrulha pra presente”.
    Fui correndo ler o conto na Trasgo (Sobre o Ar e o Fogo). Curti o jeito que a Paola arrematou a história, tenho uma queda por repetições de frases que mudam de sentido a depender do contexto.

    Antes de ir eu não podia deixar passar uma coisa… na Guerra Infinita contra a procrastinação: “Get this man a puff”.

    1. Fala, Auryo, tudo bom?

      Hahaha legal demais o pitch, né? E posso dizer com conhecimento de causa que o livro em si é legal DEMAIS! <3
      E vamos fazer um grupo de ajuda pra quem luta contra a procrastinação? Hahaha...

      Abração!
      Jana

  2. Todo episódio eu comento “Amei”, daqui a pouco o algoritmo vai achar que é spam, mas é porque eu amei mesmo! HAHAHAHHAHA

    Eu gosto muito do que vocês comentaram no episódio sobre colocar dia e hora para executar a escrita. (No meu caso é produção de conteúdo, mas a lógica é a mesma HAHAHA). Acho que fica muito mais rápido de organizar as outras coisas da minha vida, porque aquele dia vira “sagrado”: no dia tal eu não posso fazer nada, porque preciso gravar e editar. Pode parecer chato isso de COLOCAR DIA E HORA por soar como impor regras na criatividade, mas se você deixar “a inspiração aparecer”, nunca vai dar certo. Você vai se inspirar quando estiver sem tempo e ter tempo quando não conseguir se inspirar. Acredito que criar uma rotina pra criatividade ajuda seu cérebro a se esforçar para criar cada vez mais.

    1. Hahaha Fogs, pode continuar comentando que amou, a gente ama! 😛

      E perfeito isso que você disse! Claro que tem dia que a gente não tá inspirado ou empolgado, mas temos que estar “disponíveis” pra criar nessa hora, que realmente a cabeça vai acostumando! E fora que tem dia que tem que ir sem inspiração mesmo, né, é a vida hahaha…

      Obrigada pelo comentário! <3
      Jana

  3. No meu caso um dos maiores problemas para conciliar a escrita com a vida é a procrastinação mesmo. Sou do tipo que perde muito tempo no YouTube ou jogando no celular. O episódio me motivou a tentar ser mais focado.
    Não consigo escrever no ônibus, nem sei como faz isso. Imagino que seja pelo celular, mas eu tenho um grande problema com o teclado pequeno dos celulares, então não rola. Mas eu leio muito no ônibus. Na verdade, é quase o único lugar onde eu leio. Agora, houve uma época em que eu escrevia durante as aulas da faculdade. Como eu tenho tendência a dormir nas aulas, escrever me ajudava a me manter acordado. Uns dois terços do meu romance eu escrevi durante aulas. Assim eu matava dois coelhos com uma cajadada só kkkkk
    P.S.: Já quero o livro da Paola <3

    1. Meu, procrastinação é uma MERDA hahaha… E que bom que o episódio te deu essa empolgação! Comigo é uma coisa que tem que ser muito ativa mesmo, sabe?

      E essa de escrever e assistir aula da faculdade ao mesmo tempo é nova hahahaha só você mesmo!

      Beijãoooo!
      P.S.: Quero muitoooo livro da Paola!

  4. Ei pessoal do Curta Ficção!

    Achei muito propício o episódio, pois este problema de conciliação é beeem recorrente na vida de muitos escritores. No meu blog, eu escrevi um artigo com a mesma temática e falando sobre a minha técnica para tentar driblar esse impasse. O artigo se chama: “Método de Escrita Gradual: Conciliando vida e arte” (http://sagraerya.blogspot.com/2017/08/metodo-de-escrita-gradual-conciliando.html); fala sobre uma estratégia paulatina de evolução para seu projeto literário (ou de qualquer outra arte).

    Parabéns pelas temáticas sempre interessantes e indispensáveis aos escritores 🙂

    1. Fala, Sário, tudo bom?

      Olha só, vou ler o artigo sim, obrigada pelo link! E obrigada por ouvir, comentar e elogiar! 🙂 <3

      Abraçãooo!
      Jana

  5. Se vida de escritor deve ser puxada, de escritora deve ser puxada e meia!

    Sobre produtividade, lembrei de uma matéria que li um dia destes, na qual se separam as tarefas em “inputs” (atividades em que se absorve informação, como estudos, assistir vídeos, ouvir podcasts, etc) e “outputs” (atividades em que se produz conteúdo, como escrever, desenhar, publicar num blog, etc). Na matéria o autor propõe semanas dedicadas aos outputs, mas acredito que dá para usar outras escalas, como dias ou horas.

    1. Fala, Mike, tudo bom?

      Nossa, é uma separação BEM legal de tarefa. Não tinha pensado assim, mas achei muito legal mesmo! É uma boa forma de tentar separar (o dia ou no máximo a semana, na minha visão)… Muito legal, obrigada pela dica! <3

      Abração!
      Jana

  6. Perfeito! Como tudo o que vocês fazem *-*

    Esse episódio e os comentários, especialmente o do Mike Wevanne, me deram vontade de compartilhar o que eu fiz/pretendo fazer para superar a procrastinação e desenvolver o hábito de ler/escrever, vai que dá certo para alguém…

    Eu sempre me identifico com a vida de escritor do Lee quando ele conta as situações pelas quais ele passa kkkkk a empresa que eu trabalho não tem toda essa estrutura da dele de ter um espaço como ele usava, mas tem um lugarzinho lá no final do prédio que alguns usam como estacionamento e tem umas árvores, super ventilado e ninguém vai lá… Meio dia, pego meu almoço, uma caixa de arquivo velha que ia ser descartada e vou pra lá fazer meu piquenique sozinha kkkkkk

    No começo não vinha era nada, eu ficava só aproveitando o silêncio mesmo, conseguia até tirar um cochilo, mas com o tempo isso condicionou minha mente a produzir nesse horário. Agora tem dias que eu preciso é me lembrar de almoçar… Quando eu li o comentário do Mike Wevanne eu fiquei bem animada e surpresa nem sabia dessa estratégia (embora conhecesse os conceitos de imputs e outputs por causa da faculdade) e isso faz muito sentido sim *-* sempre fiz isso sem saber.

    Agora depois do episódio tive a ideia sobre o que fazer em casa, pois eu nunca consigo escrever ou estudar lá, pois meu companheiro SEMPRE quer que eu dê atenção a ele justamente na hora que a inspiração vem ou quando tenho prova para fazer, parece que ele sente 😐 Como a casa é pequena e infelizmente não tenho um lugar só meu lá, vou criar um na marra u.u conseguir um puff fofão, e conversar com ele sobre, “Quando eu estiver nesse puff, você não me interrompe para nada! Prometo não passar o dia todo só algumas horinhas por dia”, pois é um serumaninho bastante carente na maioria das vezes…

    Acho que vida de escritor, na verdade vida, seja lá de quem for, precisa é disso, flexibilidade, concessão, ideias e ações não é mesmo? De que adianta querer escrever se não paramos de fato para fazer isso? Não adianta reclamarmos da rotina, se não podemos nos livrar dela, o melhor a se fazer é aliar-se a ela.

    Para aqueles que procrastinam… incluindo eu também… #força
    E para vocês que fazem esse podcasts mais força ainda kkkk não deve ser fácil.
    Que vocês continuem sempre trazendo esses conteúdos maravilhosos para nós, Amém. 😉

    1. ​​
      Oi, Micarla, tudo bom?

      Aaaaaah, é tão legal quando você percebe que sua cabeça tá se adaptando a uma situação, né? Que bom que conseguiu esse tempinho no trabalho pra produzir!

      E sobre sua estratégia em casa: acho uma ótima ideia! O que você disse sobre flexibilidade e concessão foi certeiro. Negociar o tempo com o seu companheiro — talvez até propondo que ele faça algo que também gosta nesse período, mesmo que seja um hobby novo — pode ser muito efetivo!

      Tô torcendo muito por você… Força pra você também e obrigada pelas palavras lindas sobre o podcast, viu? Vamos continuar fazendo sim! hehehe…

      Beijão!
      Jana

  7. Eu achava que fazia muita coisa ao trabalhar fora e escrever. Mas, nossa, a Paola é muito guerreira por conseguir fazer tudo isso e ainda ser mãe! hahahaha

    Bem, desde que comecei a escrever meu livro ano passado, sempre tento separar um tempinho por dia pra escrever (seja em casa, depois do trabalho, ou um intervalinho que tenha durante o expediente). Na maioria das vezes dá certo, mas tem épocas que passo sem conseguir produzir muito por causa do cansaço, sabe? Às vezes chego do trabalho e só quero deitar e dormir. Por isso, minha produção anda mais devagar, mas aos poucos estou tentando retomar e me organizar melhor.

    O que me ajuda também é trabalhar com prazos (mesmo que sejam criados por mim). Ter uma meta para alcançar me ajudar a me manter motivada.

    1. Fala, Carol, sua querida!

      A Paola é uma ninja, né? E ainda é maravilhosa em tudo o que faz hehehe… E o cansaço altera muito a produção, via muito isso quando só podia escrever depois de voltar da rotina na empresa. Pra variar, aparentemente a gente lida com isso da mesma forma também, com metas e alguns períodos pra escrita, mesmo que poucos!

      Obrigada pelo comentário! <3
      Jana

  8. Adorei o episódio. Sou ouvinte do Curta Ficção há um tempo, mas decidi passar a comentar agr, rs.

    Sei como é complicado conciliar tempo para ler, escrever e ainda fazer faculdade. Eu tento sempre manter um despertador para uma hora específica do dia para escrever, e tento escrever meia hora por dia. Meu dia é todo cronometrado, com horário específico para tudo. Óbvio que às vezes tem que ser flexível, mas dessa forma eu consigo manter uma organização de tempo. Faculdade e escrita ao mesmo tempo é complicado, ainda mais quando se tem uma monografia para fazer, kkk

    Enfim, episódio muito bom. Gostei bastante.

    1. Só agora tu dá as caras aqui, Igor?!
      Desonra pra Tu. Desonra Pra Tua Vaca.

      O período de monografia não é saudável, a gente morre um pouco a cada minuto, porque a gente se cobra para terminar o TCC, a gente tem que fazer outras coisas, a gente quer fazer outras coisas mas aí vem a lembrança de que não terminou aquela parte da monografia, é um inferno… Força.

      1. É, cara, kkkk. Agora que eu passei a comentar nos podcasts que ouço, rs.

        Enfim, verdade, mano, época de TCC é a pior coisa que tem. Mas sabendo organizar tudo da pra sobreviver kk

        1. Fala, Igor!

          Hahaha bem-vindo aos comentários, Igor! Nunca é tarde demais! 😛 (Mas ri ao pensar no Mushu rs)

          Meu, minha época de faculdade + estágio foi tão conturbada que eu parei totalmente de escrever. O máximo que fazia era dar uma lida no que já tinha, anotar umas ideias… Foi terrível! Pior ainda na época de TCC/monografia!

          Muita força aí pra você e obrigada pelos comentários! <3

          Abração!
          Jana

  9. Olá, pessoal!

    Parabéns por mais um excelente episódio!

    É difícil mesmo conciliar escrita e vida pessoal. Durante um tempo, o papel de parede do meu PC era um desenho de um livro aberto com uma mensagem “o que você faz pelo seu livro hoje?” e aquilo me incentivava a pensar sobre o que fazer por minhas obras.

    Li algo que vou usar no meu livro?
    Fiz algum planejamento?
    Escrevi?
    Reescrevi?

    Nem que seja só um parágrafo por dia e dar aquela compensada em um dia de folga, vale a pena investir aos poucos em seu próprio livro. Afinal, é seu.

    Abraços.

Leave a Reply

*