Curta Ficção #020 – Leitura Sensível, com a editora Nathália Dimambro



Curta Ficção #020 – Leitura Sensível, com a editora Nathália Dimambro

Ouvir

Neste episódio, Thiago Lee, Jana Bianchi e Rodrigo Assis Mesquita recebem a editora da Editora Seguinte, Nathalia Dimambro, para explicar o que é leitura sensível e como ela afeta o mercado editorial nacional.

Comente no feed do podcast, aqui na página do Facebook ou pelo Twitter, no @curtaficcao. A gente quer ouvir sua opinião!

ATENÇÃO!

Para ouvir o episódio, clique no botão play ou no botão de download no plugin abaixo.

Feed do podcast: http://curtaficcao.blubrry.com/feed/podcast/

Assinem nossa newsletter

Curtam nossa página no Facebook

Sigam-nos no Twitter

Links comentados:

Entendendo a leitura sensível | Blog de Alliah

Mercado editorial adota função do ‘leitor sensível’ para evitar boicotes

Nathália Dimambro (@natidimambro) | Twitter

Editora Seguinte – Página inicial | Facebook

Editora Seguinte (@editoraseguinte) | Twitter

Editora Seguinte – YouTube

Ninguém Nasce Herói, Eric Novello

Artigo: Escrevendo sobre Estupro, por Jim C. Hines – Grifo Negro

4 Armadilhas a serem evitadas ao criar personagens trans (versão para ficção científica e fantasia)

George Orwell: Politics and the English Language

Ecos da Galeria – Newsletter

Serviço de Leitura Crítica e Preparação de Texto

Guerras Cthulhu

Revista Trasgo

Sombras, de Jana P. Bianchi

Lobo de Rua, de Jana P. Bianchi

Réquiem para a Liberdade – Wattpad – Thiago Lee

Dúvidas, comentários, sugestões – curtaficcao@gmail.com

Créditos da ilustração utilizada na imagem de capa.


4 thoughts on “Curta Ficção #020 – Leitura Sensível, com a editora Nathália Dimambro

  1. Adorei o episódio. Taí uma coisa que nunca tinha pensado. E agora fiquei com vontade de ler livros que sejam escritos ou que representem fielmente minorias. E que o/a/ os/as personagens principais sejam de alguma minoria. Isso me lembrou um livro que eu gostei muito. Trata-se do “O Estranho Caso do Cachorro Morto”, de Mark Haddon. Faz muito tempo que li e nem lembro direito da história, mas lembro que gostei muito por retratar a visão de mundo de um garoto autista. Espero que o autor tenha tido essa preocupação de não ser estereotipado ou ter cometido erros sérios.

    1. Fala, Rogério!

      Olha, não conhecia esse livro, vou procurar! Me interessa bastante saber mais sobre personagens autistas porque tenho uma pessoa muito próxima que é Asperger e sempre me interesso por ver mais representação deles! 🙂

      E sobre livros que são mais antigos e tal, eu tento “relevar” um pouco porque era uma época em que a diversidade e a representatividade não eram tão valorizados. A gente precisa ter essa compreensão, mas ainda assim assumir se uma obra (que a gente gosta muito, inclusive) tem problemas. Minha vida com algumas falhas de representatividade em Harry Potter, por exemplo hahaha…

      O importante é pensarmos nisso daqui pra frente, né?

      Obrigada pelo comentário! 🙂
      Abração!
      Jana

  2. Confesso que antes de esse tema ter virado polêmica, não conhecia nada sobre leitura sensível. Porém, depois de algumas coisas que li e de ouvir o podcast, me pareceu uma ideia bem interessante, caso essa seja a vontade do autor. Eu mesma optaria por algo do tipo caso fosse escrever personagens pertencentes a minorias das quais não faço parte.

    Ótimo episódio!

    1. Fala, Carol!

      Então, muita gente não conhecia – pelo menos não com esse nome, já que muita gente procurava “betas especiais” pros livros sem coonhecer o termo… Eu também com certeza gostaria de falar com o máximo de pessoas pertencentes a um grupo a que eu mesma não pertenço pra evitar falar bobagem! hahaha… Acho que hoje em dia, quanto mais respaldados estivermos pra não machucar os outros, melhor!

      Grande abraço!
      Jana

Leave a Reply

*